Título: Eu Sou A Lenda
Autor: Richard Matheson
Ano: 2015
Editora: Aleph
Tradução: Delfin
Número de páginas: 384
Skoob:  Adicione
Compre:Amazon

Sinopse:Uma impiedosa praga assola o mundo, transformando cada homem, mulher e criança do planeta em algo digno dos pesadelos mais sombrios. Nesse cenário pós-apocalíptico, tomado por criaturas da noite sedentas de sangue, Robert Neville pode ser o último homem na Terra. Ele passa seus dias em busca de comida e suprimentos, lutando para manter-se vivo (e são). Mas os infectados espreitam pelas sombras, observando até o menor de seus movimentos, à espera de qualquer passo em falso... Eu sou a lenda, é considerado um dos maiores clássicos do horror e da ficção científica, tendo sido adaptado para o cinema três vezes.


" O mundo ficou louco, pensou. Os mortos andam por aí e eu acho isso normal."

Desde que a Editora Aleph anunciou o lançamento fiquei logo interessada, primeiramente pela edição lindíssima. Capa dura e formato muito bonito. E claro por ser um clássico da ficção cientifica que tinha muito interesse em ler. Eu Sou A Lenda foi publicado primeiramente em 1954. Considerado um marco da ficção gótica, um dos melhores livros de terror.


“Normalidade era um conceito de maioria, um padrão de muitos e não o padrão de apenas um homem.”

 A trama é ambientada em 1976, onde conhecemos Robert Neville, que parece ser o único sobrevivente após um vírus assolar a terra e matar todos, inclusive sua esposa e filha. Robert vive em Los Angeles sozinho há três anos. Lutando com criaturas loucas por sangue, afetadas pelos vírus. Após infectadas as pessoas morrem, mas parecem voltar a vida. Durante o dia elas somem, mas a noite começa a caçar. E eles têm Robert, assim fazem de tudo para pega-lo, os que eram vizinhos de Robert ficam chamando-o , o provocando para ver se conseguem tira-lo de casa. Mas Neville está bem protegido em sua casa, com um bom vinho, música e livros. Só esperando o dia amanhecer para poder sair atrás de coisas para ajudar a se manter. E usar suas estacas em alguns deles.

Neste romance pós- apocalíptico teremos uma história de sobrevivência física e psicológica. Acompanhamos a solidão de Neville, e todas as dúvidas que o domina sobre o que aconteceu, porque as pessoas ficaram assim, e por que ele ainda está vivo. Neville decide descobrir o que é este vírus, e quem sabe, até achar uma cura. Isso se torna um objetivo para ele, uma forma de motivo para continuar vivendo. E no meio destes estudos ele nos trará repostas e reflexões muito interessantes.

“O Vampiro era real. Mas sua história verdadeira nunca tinha sido contada.”

Um livro que talvez tivesse tudo para ser monótono, pois iremos acompanhar um narrador solitário e cheio de lamurias. Mas não foi nada disso, e sim, uma leitura viciante. Que só larguei depois de chegar a última página. A escrita do autor é muito envolvente e nos faz sofrer junto com o personagem, e refletimos sobre seus conflitos. Nos mostra como não nascemos para vivermos sozinhos, a solidão dói. E através de Neville veremos como estar sozinho pode ser enlouquecedor.

“A emoção era algo difícil de se invocar dos mortos, pensou. Ele a gastara toda e, agora, sentia-se oco, sem sentimentos.”

Além de todo o horror psicológico que permeia a narrativa, teremos cenas emocionantes também, onde ficamos com o coração bem apertado. E para concluir com chave de ouro , teremos um final sensacional.

O livro além desta edição belíssima, possui extras, como uma entrevista com o autor, prefácio do mestre Stephen King  texto do professor Mathias Clasen. Existem três adaptações cinematográficas até agora; vi somente a de 2007 com Will Smith, e gostei muito.

“O abuso do terror logo tornaria o próprio terror um clichê."









8 Comentários

  1. Esse é um livro sobre o qual já ouvi alguns comentários, por ser um clássico, mas não sabia ainda ao certo do que se tratava.
    Após ler sua resenha, achei a história bem interessante, ainda mais nessa edição que parece estar bem caprichada. Apesar de não ser do meu gênero favorito, acho que lerei assim que surgir uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito do filme com o Will Smith e nem sabia que o livro já havia sido adaptado outras duas vezes! Isso porque, na verdade, eu só descobri que havia um livro depois que esse filme foi lançado. Mas acho que o filme se enquadra melhor na categoria distopia, ao invés de terror.
    Tenho muita vontade de ler o livro.

    Beijos,
    sigolendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana! Tudo bem?
    Já vi o filme e não sabia que tinha o livro e ainda mais que se trata de um clássico! Amei sua resenha e fiquei interessada em curiosa em conhecer a obra! Dica anotada!
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Já li muitos elogios sobre a obra. Confesso que tenho bastante curiosidade para conhecer a história, acho que o livro tem tudo para me agradar. Ainda mais com essa edição linda da Aleph.
    Gostei da resenha e dos pontos que você ressaltou.
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana
    Primeiro, que capa linda é essa?
    Eu conheço a história do livro por causa do filme, mas confesso para você que não é o tipo de livro que eu costume ler normalmente :/
    Apesar da sua resenha, o livro não me chamou a atenção para a leitura.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  6. Olá, acho a capa dessa obra linda.
    Ainda não tive a oportunidade de ler e também não conferi a adaptação.
    Adorei sua resenha, parabéns!


    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá, além da capa linda adorei sua resenha. Confesso que livros que mexe com o psicológico, que mexe com sentimentos de solidão é bem pesado para as minhas leituras. Mas esses livros sempre foi um dos mais bem falados e fiquei curiosa. Ficou ótimo!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu já estava com vontade de ler esse livro antes, agora fiquei mais ainda, sua resenha ficou show!!!
    Essa edição está linda né? Amei suas fotos!!!

    ResponderExcluir